Site Meter

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Boney M: Rasputin

Morreu um dos grandes... Bobby Farrell. Obrigado pela música (e dança)
PS: O som está baixinho, mas vale a pena.

O 11 do ano 2010

Neste onze do ano não entram Hulk, nem Fernando nem a águia Vitória. São 11 discos que talvez não sejam os melhores, mas são sem dúvidas dos melhores.

Não estão ordenados por alguma ordem específica.

Peter Broderick - How they are
Midlake - Fortune
Her name is Calla - The quiet lamb
Rivulets - Stray Songs
Howe Gelb - Blurry Blue Mountain
Frank Zappa - Hammersmith Odeon
Ben Solle & Daniel Martin Moore - Dear Companion
Eels - End time
Bonnie Prince Billy - The wonder show of the world
Tim Buckley - Live at the folklore center
Cocoon - Where the Oceans End

Muitos outros poderiam estar aqui como "Arcade Fire: The Suburbs", "Epigram: Reverie" ou "Antony and the Johnsons: Thank You for Your Love" mas deixem lá... É apenas uma lista e fortemente influenciada pelo que ando a ouvir ultimamente.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

domingo, 19 de dezembro de 2010

Frank Zappa: Willie the pimp (Featuring Captain Beefheart)

"Willy the Pimp", um dos temas mais fortes de um dos melhores discos de Zappa, Hot Rats, que conta com a fantástica participação do Captain Beefheart (Donald Glen Vliet).

Um disco indispensável!

Captain Beefheart & His Magic Band: Ella guru

Sem dúvida um dos mais controversos músicos de sempre... O seu "Trout Mask Replika" continua a deixar-me longe de o compreender.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Leonard Cohen: One of us cannot be wrong (II)

Um repost devido à disponibilidade deste vídeo (retirado do Live at the Isle of Wight - 1970)... Sem dúvida uma das minha preferidas...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Of Montreal: Famine Affair (II)

A saída do vídeo deste fantástico tema obrigou-me a este "repost". Esta é das músicas que mais tenho ouvido ultimamente. O preenchimento da música e as suas constantes variações permitem-lhe várias audições sem enfartamento.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Sleeping at last: Next to me

Retirado do último EP desta banda: Yearbook October. Este conjunto de Chicago apresenta muitas influências Cristãs que molha numa mistura Folk/Pop muito interessante.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Peter Broderick: Hello to Nils

Uma amostra do grande concerto que se espera daqui a umas horas no Passos Manuel...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Michael Jackson: Behind the mask

O novo disco de MJ só sai no próximo dia 14. No entanto, já tive a oportunidade de o ouvir. MJ foi o primeiro artista de quem fui fã. Os seus quatro primeiros discos são, na minha modesta opinião, imprescindíveis. No entanto, não me parece que o próximo "trabalho" vá entrar nessa lista e fazer companhia ao "Off the wall" "Thriller", "Bad" ou "Dangerous".

Tenho pena que MJ não tenha vivido o suficiente para fazer um disco intimista (apenas ele e um piano ou algo muito pouco produzido). Deste disco, um tema que prevejo que faça algum sucesso é um remake desta música que ainda não tinha sido editado.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Midlake: Children of the Grounds

Mais um fantástico tema deste quinteto do Texas...

Jean Michel Jarre: Oxygen IV

Jean Michel Jarre, pioneiro da música electrónica, explodiu os nossos horizontes musicais com esta verdadeira revolução: "Oxygene". Este é um dos temas mais fortes de um dos seus melhores álbuns.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

domingo, 17 de outubro de 2010

sábado, 16 de outubro de 2010

Nina Nastasia: Cry, Cry, Baby

Um post com muito atraso...

Grande concerto, ontem. Não, não foram os "Tu também", nem foi em Coimbra. Foi em Guimarães... Nina Nastasia deu um grande concerto. É verdade que estava muito bem acompanhada. Com um grande violinista com quem tivemos o seguinte diálogo:

- Tu tens outros trabalhos?
- Sim, toco numa banda rap / hip-hop
- ...

Nina é EXTREMAMENTE simpática. Até lhe dei dois beijinhos (embora ela só estivesse a contar com o primeiro). Contou-nos que adorou comer AQWRHAFKzinhos... Depois de muito esforço percebemos que eram Jaquinzinhos (é assim que se escreve?).

Melhor ainda foi quando o manager veio a correr atrás de nós com um "Hey guys, hey guys" (não confundir com "Hey gays"), perguntou-nos se por sermos do Porto conhecíamos sítios onde a Nina podia tocar. Depois de a Marta (quem é a Marta?) lhes dizer que na maioria as salas eram grandes (pelo menos em comparação ao café onde tocou Nina) ele respondeu, ligeiramente ofendido, que a Nina em Londres até tocava com orquestra.

Moral da história, nós temos contactos da Nina para marcações de concertos. Se houver alguém interessado...


Harry Belafonte: Try to remember

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Joy Division: Love will tear us apart (again)

Um repost, com uma versão diferente da música. Continuo a gostar da música com da primeira vez que a ouvi. E nunca fez tanto sentido...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Eels: That Look You Give That Guy

Nick Drake: Fruit Tree

Quanto mais tempo passa, mais gosto deste disco. Dificilmente consigo sair de casa uns dias sem levá-lo comigo (também me acontece isto com "Songs from Leonard Cohen").

É tão fácil escolher temas deste álbum, são todos fantásticos.

Nick Drake é sem dúvidas uma das minhas preferências. Raramente a beleza combina tão bem com a melancolia.

Nunca mais chove!... Para acender a lareira, apagar as luzes e...

Ouvir este disco repetidamente.

PS: Já agora um pouco de vento e frio...

domingo, 10 de outubro de 2010

sábado, 9 de outubro de 2010

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Iron Maiden: No prayer for the dying

Há coisas que não se conseguem explicar...
Há coisas que só se podem sentir...
E nestas últimas entra esta música. Não consigo explicar porque gosto tanto... Quando era teenager inconsciente (a parte importante é teenager porque inconsciente talvez continue a ser) cheguei a gravar uma cassete (K7 - podem procurar na Internet se não souberem o que é) dos dois lados (não tentar gravar dos dois lados nos CDs ou DVDs - acho que nos MP3 nem faz sentido) repetidamente com esta música.

Lembro-me de a minha mãe resmungar bastante por isto. Nunca percebi qual é o problema de ouvir um dia inteiro a mesma música... E nem tinha a música completa...

Fica aqui a versão original... Não me lembro quando é que a música parava na minha K7 por isso deixo-a completa.


Roky Erickson And Okkervil River: Devotional Number One

Para quem consegue ouvir para além das super-produções... (Syd Barrett II)

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Agua de Annique: Come Wander With Me

Num projecto de Anneke Van Giersbergen, a ex-vocalista dos "The Gathering" apresenta-nos este muito bom "Come wander with me", acompanhada por (sem certeza absoluta) Kyteman.

Of Montreal: Famine Affair

Uma mistura interessante, principalmente quando a linha de baixo se salienta.

Troy Von Balthazar: Wings

A tentar repor o atraso...

Diane Cluck: My Teacher Died

Uma das músicas que Diane Cluck tocou ontem num dos concertos mais intimistas que até hoje pude assistir. Mais perto e tinha que lhe pedir namoro... Primeira fila e central.

A estrutura do concerto foi, no mínimo, diferente. O público estava na parte posterior do palco em 4 filas de cadeiras e Diane estava na frente do palco e se houvesse público dentro da sala, ela estaria de costas.

Sempre que ela cantava lembrava-me um passarinho: melodias imprevisíveis mas com uma afinação incrível.

Obrigado ao Teatro Aveirense por mais um concerto fabuloso (o último que assisti lá foi o do Bonnie "Prince" Billy).

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Micah P Hinson: The fire came up to my knees

Uma entrada muito interessante de um artista que virá voltará certamente a este espaço em breve.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Anthony & the Johnsons: Thank you for your love

Mais um grande tema cantado divinamente... Retirado de seu último álbum (Swanlights) e também disponível no último EP (Thank you for your love), este é sem dúvidas um dos temas mais forte.

PS: Eu teria reduzido uns segundos (minuto?) à canção...

terça-feira, 14 de setembro de 2010

domingo, 5 de setembro de 2010

DM Stith: BMB

Se eu pudesse não colocaria toda a música, ficaria só até ao ruído... Deixou-me curioso para conhecer mais...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Marble sounds: Time to sleep

Grande single retirado do disco de estreia "Nice is good". Fiquem à espera de mais ;)

Tired Pony: The good book

Legião Urbana: Teatro dos vampiros

(Re)legião Urbana é provavelmente a banda que mais me faz confusão não ter mais sucesso em Portugal. Este tema é mais um dos muitos fantásticos que a banda fez escorrer durante tanto tempo...

Sempre precisei
De um pouco de atenção
Acho que não sei quem sou
Só sei do que não gosto...

E nesses dias tão estranhos
Fica a poeira
Se escondendo pelos cantos
Esse é o nosso mundo
O que é demais
Nunca é o bastante
E a primeira vez
É sempre a última chance
Ninguém vê onde chegamos
Os assassinos estão livres
Nós não estamos...

Vamos sair!
Mas não temos mais dinheiro
Os meus amigos todos
Estão procurando emprego...

Voltamos a viver
Como há dez anos atrás
E a cada hora que passa
Envelhecemos dez semanas...

Vamos lá, tudo bem!
Eu só quero me divertir
Esquecer dessa noite
Ter um lugar legal prá ir...

Já entregamos o alvo
E a artilharia
Comparamos nossas vidas
E esperamos que um dia
Nossas vidas
Possam se encontrar...

Quando me vi
Tendo de viver
Comigo apenas
E com o mundo
Você me veio
Como um sonho bom
E me assustei
Não sou perfeito...

Eu não esqueço
A riqueza que nós temos
Ninguém consegue perceber
E de pensar nisso tudo
Eu, homem feito
Tive medo
E não consegui dormir...

Vamos sair!
Mas estamos sem dinheiro
Os meus amigos todos
Estão, procurando emprego...

Voltamos a viver
Como a dez anos atrás
E a cada hora que passa
Envelhecemos dez semanas...

Vamos lá, tudo bem
Eu só quero me divertir
Esquecer dessa noite
Ter um lugar legal prá ir...

Já entregamos o alvo
E a artilharia
Comparamos nossas vidas
E mesmo assim
Não tenho pena de ninguém...

domingo, 22 de agosto de 2010

Oingo Boingo: Pictures of you

Há músicas que me tocam directamente no lado mais escuro da minha alma. Nada de maléfico. Apenas escuro. Nada de depressivo. Apenas Escuro. Não sei se é o phaser que rasga o tema, mas é verdade; sinto o meu lado escuro.

Este tema é retirado do fantástico "Good for your soul" que contém temas como "Who Do You Want To Be" (extremamente eléctrico), "Fill The Void" (meio reggae) ou Sweat (Hard-Country?).

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Ludwig van Beethoven: Moonlight Sonata (3rd movement)

Embora o primeiro movimento da "Moonlight Sonata" continue a ser o meu preferido, este tema também é imprescindível...
PS: Que velocidade...

Modest Mussorgsky: Pictures at an Exhibition

Alain Chamfort: Manureva

Alain Colas era um navegador francês que desapareceu no seu barco, Manureva, no dia 16 de Novembro de 1978 perto dos Açores. Serge Gainsbourg, inspirado por esta tragédia, compôs este tema. Confesso um gosto especial pelo pop electrónico negro do final dos 70 e início dos 80...

Confesso não gostar do género, mas pelos vistos, o David Guetta utilizou um sample desta música no seu tema Memories (http://www.youtube.com/watch?v=NUVCQXMUVnI)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Danny Elfman: This is halloween

Este tema deixou-me completamente colado à cadeira quando vi o filme pela primeira vez; e já conhecia a banda sonora de trás para a frente. Sem dúvida um dos meus filmes preferidos. A história combina-se maravilhosamente com o som e a magia de um mundo Burton. Um filme imprescindível e uma banda sonora a ter em casa para ouvir repetidamente.

PS: Não queiram ver o filme comigo ao lado, sei as falas todas do filme :$

The Guggenheim Grotto: Wisdom

Bastante diferente da versão do disco, mas, aqui fica ;)

sábado, 14 de agosto de 2010

Iron Maiden: Phantom of the Opera

Os Iron Maiden são das minhas bandas preferidas de sempre, apesar de não se encaixarem no estilo de música que aquilo coloco. Acabaram de lançar mais um disco mais maduro e bastante interessante. No entanto - e confessando que até gosto das capas deles - o design do novo disco é... Horrível. Para recuperar deste trauma coloco aqui uma das músicas mais interessantes do género, retirado do primeiro disco.


quinta-feira, 12 de agosto de 2010

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Blondie: Heart of glass

Uma das minhas preferidas desde miúdo ;) (estou a falar da música).

PS: Blondie is a band ;)

sábado, 7 de agosto de 2010

Lost Bliss: Demo

Uma péssima gravação, péssima montagem, mas quero lá saber :)

Sorrow is not enough.
In silence I suffer, but nobody's looking.

Words fall from my mouth, like stains in an old fashioned restaurant.

It's not about how you loved...
It's about how you've been loved.

The fire burns even without passion.
The ice breaks even when untrue.


Listen here: Demo song



quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Bruno Coulais: Les Choristes

Duas cenas de um muito bom filme: "Les Choristes". A banda sonora (neste blog é a prioridade) é da responsabilidade de Bruno Coulais (embora um dos temas seja de Jean-Philippe Rameau - à direita -, compositor clássico que viveu entre 1683 e 1764 ). Estão aqui retratadas duas das melhores cenas dos filme e duas das fantásticas canções que podem ouvir. Recomendo... e o filme também.




Je m'appelle Clément Mathieu, musicien raté, pion au chomâge.



quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Sandy Denny: 3.10 to Yuma

Sem dúvidas uma das melhores vozes de sempre...

There is a lonely train called the 3:10 to Yuma


Nana Mouskouri: Why did i choose you?

Desde muito pequeno me habituei a ver esta Senhora a cantar, mas só hoje é que a achei verdadeiramente bonita...

sexta-feira, 30 de julho de 2010

The Webb Sisters & Leonard Cohen: If it be your will

Um dos momentos mais fantásticos que assisti ao vivo (não neste concerto específico, mas desta tournée).

Leonard Cohen: Suzanne

Uma das músicas com mais covers que conheço. A primeira música do primeiro disco do Leonard Cohen, o meu preferido. Obrigatório!

Leonard Cohen: The partisan

Absolutamente fabuloso (como sempre).

Silver Apples: I have known love

Este tema é retirado de um dos discos mais revolucionários dos anos 60. Esta banda formada por apenas dois elementos (um baterista e um "men" que brinca com osciladores) criam um dos sons mais originais da referida década. Um disco a conhecer!

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Palace Brothers: You will miss me when i burn


Rivulets: You are my home

Nathan Amundson começou a gravar como Rivulets em 1999. Este facto é irrelevante perdendo-se por ser a única coisa que sei. A única, não, porque sei que estou fascinado. Ou muito me engano ou tenho aqui um singer-songwriter minimalista exactamente à medida deste blog.
PS: Alguém consegue ouvir aqui Jeff Buckley?

Nathan Amundson started recording as Rivulets in 1999. This fact is irrelevant loosing its meaning because it's the only thing i know. Not the only one, no, because i know how amazed i am. I can be wrong but i think i've found a minimalist singer-songwriter exactly like those i'm seeking for this blog. PS: Can someone hear Jeff Buckley here?

Santana: Europa (Europa Earth's Cry Heaven's Smile)

Poucas músicas me fizeram mais sonhar do que esta (ainda faz?). O órgão "hammond", a guitarra à-la-Santana (...) e os ritmos latinos (que até dispensava) combinam-se de forma majestosa.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Lou Reed & John Cale: Hello it's me

Retirado de um fantástico disco dedicado a Andy Warhol, Songs for Drella (mistura de Dracula e Cinderela), este tema combina a leveza dos Velvet Underground e o sentimentalismo mais maduro de Reed e Cale.

sábado, 10 de julho de 2010

Pulp: Disco 2000

Volume no máximo e toca a levantar!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

terça-feira, 6 de julho de 2010

Jeff Buckley: Phantasmagoria in two

Pelo o que esta música representa interpretada pelo Jeff, não poderia deixar de estar aqui...

terça-feira, 22 de junho de 2010

Fairport Convention: Decameron / Jack O' Diamonds

Duas músicas dos Fairport Convention numa. Em verdade só queria colocar a primeira, mas oferece-se o bónus da segunda, composta por Bob Dylan.

Fairport Convention: Morning Glory

Um versão do Tim Buckley pelos Fairport Convention (antes da Denny).

sexta-feira, 11 de junho de 2010

New Order: Blue Monday

Praticamente a mesma banda (Joy Division) mas sem o vocalista. Este é o EP (12'') mais vendido de sempre mas o disco dava prejuízo por cada disco que vendia devido à obra de arte que era o "sleeve".

Tive recentemente a sorte de ver a capa em Serralves :)











Joy Division: Atmosphere

Um dos melhores temas dos Joy Division...

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Bonnie "Prince" Billy & The Cairo Gang + Susanna: Go Folks, Go

Grande concerto ontem. De quem? Não sei. De Bonnie "Prince" Billy (BPB)? Talvez? De Emmett Kelly? Talvez. Mas não pensem que a dúvida possa indicar um "Minor concert", porque em verdade vos digo que é o oposto.

Quase como a dupla McCartney/Lennon, a soma das partes era muito superior do que as somas individuais. Se fossem 4 até poderiam ser os Beatles. Mas eram só três, porque com eles também esteve presente uma linda menina, a Susanna - que, com uma voz fabulosa, foi fazendo fantásticas harmonias (embora me fizesse lembrar por vezes a Olivia Newton-John) com os dois outros homens.

Vou deixar de ser mauzinho, porque eram mesmo 4. Também tinham um baixista, e fui mesmo mau, porque o seu baixo teve exactamente a função que tinha que ter no estilo: encaminhar para o "root" dos acordes, não nos deixando minimamente perdidos nos momentos em que a guitarra se isolava estabilizando-nos as sensações.

A primeira coisa que me marcou foi a humildade do artista BPB que fez de background-vocals da sua primeira parte durante quase 40 minutos. Mas isto não foi o mais importante. A sua voz estava fenomenal. Afinadíssima e emparelhando-se à voz de Susanna reproduzindo uma sonoridade merecendo destaque de um livro milenar.

A segunda coisa que me marcou foi a espantosa habilidade em todos os aspectos do guitarrista Emmett Kelly. Não é com certeza coincidência que até estava no centro do palco. Cantava e deslizava os seus dedos pela guitarra com uma eloquência de super-herói sem super-poderes. Daqueles que merecem mesmo destaque.

Depois de saírem para um curto intervalo, voltaram com outras asas. As asas da composição e da magia de BPB. Num concerto tão intimista que sempre que ele saltava, ouviam-se as chaves que tinha no bolso (acho eu, não fui lá confirmar). Em certos momentos nem precisava de microfone. Literalmente.

Como calculam o concerto foi mesmo fabuloso. Mas não consigo descrever o que foi o "encore". Uma sala em pé à espera do retorno dos músicos, que nem se fizeram esperar muito, recebeu-os novamente em apoteose. Num dos momentos de silêncio fantástico que se sentiram ontem, uma jovem delirava com uma das suas visões "I see a darkness, i see a darkness, ....". E foi aí que ocorreu o momento da noite. Emmett Kelly desliga-se de qualquer electricidade, conversa numa cumplicidade de dois adolescente que se preparam para fazer amor, separam-se um para cada lado do palco e... foi aí, que nos presentearam com um dos melhores momentos musicais a que assisti. Um verdadeiro unplugged do "I see a darkness" cantado e tocado, e se BPB fosse mais bonito poderia até poderia dizer, angelical.

BPB é um artista, um verdadeiro artista. No verdadeiro significado da palavra: criador de arte e segundo um dicionário online, que tem ou exprime o sentimento da arte.



PS: O vídeo que escolhi foi quase aleatório e foi retirado do concerto do dia anterior em Lisboa. Nem me preocupei porque sei que nada que aqui colocasse iria chegar perto do que se viu assumo a falha desde o início.